“Zmork” já está instalada na Praça do Município

“Zmork” já está instalada na Praça do Município

Tem 15 metros e cerca de 3 mil quilos a escultura em aço corten da autoria de Robert Schad que foi esta manhã colocada na Praça do Município. Inauguração está marcada para esta sexta-feira.

“Zmork 2020”, da autoria do artista alemão, foi adquirida pela Câmara Municipal da Maia e pretende homenagear a “Alma Empreendedora”. O investimento é de 74.350 euros e a contratação da aquisição dos serviços de conceção e produção da escultura data de dezembro de 2019.

A iniciativa tem como parceira a INDIMESA, uma empresa inserida na indústria metalomecânica e soluções ambientais, sediada em Águas Santas, e representada pelo maiato António Carneiro, fundador da empresa, com quem o escultor estabelece uma relação de cumplicidade artística. A empresa é responsável pela construção da obra e colocação, tendo igualmente produzido outras obras concebidas pelo autor para o espaço público de cidades alemãs. O fabrico desta obra emblemática foi também assegurado por uma serralharia maiata, de Santa Maria de Avioso.

Os trabalhos de montagem da estrutura iniciaram a 1 de fevereiro e deverão terminar durante o dia de hoje, acompanhados pelo autor Robert Schad que, ao que o Jornal da Maia apurou tem estado durante toda a manhã envolvido na colocação da estrutura. A inauguração tem data marcada esta sexta-feira, dia 19 de fevereiro.

A obra

António Silva Tiago, presidente da Câmara Municipal, afirma que «a decisão de fazer a escultura foi tomada em 2019 e o Município, como pessoa de bem, honrou o compromisso assumido, tanto mais que o objeto é produzido por uma empresa maiata. Assim, não só qualificamos o espaço público como apoiamos o tecido empresarial da Maia».
O próprio artista fala da escultura Zmork para a Maia, como «representando as forças positivas presentes na alma urbana e empreendedora desta cidade. Três braços envolvem um novelo de aço e erguem-no nos ares. As barras de aço da escultura crescem naturalmente, como uma planta que se ergue do solo. São um corpo de braços erguidos, uma bailarina em pontas que dança no largo principal da cidade. Apesar de ser rígida e pesar muitas toneladas, visualmente a escultura transmite leveza e movimento, um movimento que se detêm por um instante no momento do nosso olhar. O tempo dominado pelo aço, parecendo estático».

Compartilhar este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *