Maia está agora nos concelhos de risco muito elevado e mantém restrições

Maia está agora nos concelhos de risco muito elevado e mantém restrições

Maia entra agora para o nível de risco mais elevado e mantém o recolher obrigatório às 23 horas, com apresentação obrigatória de um teste negativo à Covid-19 ou o certificado digital para entrar em restaurantes.

São 61 os concelhos de risco muito elevado de transmissão de Covid-19, dos quais a Maia passa a fazer parte a partir de hoje, conforme anunciado há instantes pela ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, após reunião do Conselho de Ministros.

Na Maia aplica-se agora as regras mais restritas do nível de risco mais elevado, nomeadamente o recolher obrigatório entre as 23 e as 5 horas, bem como a exigência de certificado Covid-19 ou teste negativo para aceder ao interior dos restaurantes, que passam a encerrar às 22h30.

De 46, registados na semana passada, passa agora para 61 o número de concelhos de risco muito elevado, que apresentam 240 (ou 480, nos municípios de baixa densidade populacional) casos de infeção por cada 100 mil habitantes, em duas avaliações consecutivas.

São 116 os concelhos onde é obrigatória a apresentação de um teste negativo à Covid-19 ou o certificado digital para entrar em restaurantes, mais 26 quando comparado com a passada quinta feira.

Mariana Vieira da Silva, ministra de Estado e da Presidência, adiantou que Portugal tem 47% da população com as duas doses da vacina mais 14 dias e que o país está num nível vermelho «menos denso» quando analisada a matriz de risco do Governo.

Restrições

– Teletrabalho obrigatório, quando as funções o permitam;
– Espetáculos culturais com os mesmos horários da restauração;
– Comércio a retalho até às 21 horas;
– Restaurantes, cafés e pastelarias até às 22h30 (no interior, com um máximo de 6 pessoas por grupo; em esplanada, 10 pessoas por grupo);
– Limitação da circulação na via pública a partir das 23h00

Concelhos de risco muito elevado

Albergaria-a-Velha, Albufeira, Alcochete, Alenquer, Aljustrel, Almada, Amadora, Arraiolos, Aveiro, Azambuja, Barreiro, Batalha, Benavente, Cascais, Espinho, Faro, Gondomar, Ílhavo, Lagoa, Lagos, Lisboa, Loulé, Loures, Lourinhã, Lousada, Mafra, Maia, Matosinhos, Mira, Moita, Montijo, Nazaré, Odivelas, Oeiras, Olhão, Oliveira do Bairro, Palmela, Paredes, Pedrógão Grande, Peniche, Portimão, Porto, Póvoa de Varzim, Santo Tirso, São Brás de Alportel, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Silves, Sines, Sintra, Sobral de Monte Agraço, Tavira, Vagos, Valongo, Vila do Bispo, Vila Franca de Xira, Vila Nova de Famalicão, Vila Nova de Gaia, Vila Real de Santo António e Viseu.

Concelhos de risco elevado

Águeda, Alcobaça, Alcoutim, Amarante, Anadia, Arruda dos Vinhos, Avis, Barcelos, Bombarral, Braga, Cadaval, Caldas da Rainha, Cantanhede, Cartaxo, Castelo de Paiva, Castro Marim, Chaves, Coimbra, Constância, Elvas, Estarreja, Fafe, Felgueiras, Figueira da Foz, Guarda, Guimarães, Leiria, Marco de Canaveses, Marinha Grande, Mogadouro, Montemor-o-Novo, Montemor-o-Velho, Murtosa, Óbidos, Ourém, Ovar, Paços de Ferreira, Paredes de Coura, Penafiel, Porto de Mós, Rio Maior, Salvaterra de Magos, Santa Maria da Feira, Santarém, Santiago do Cacém, São João da Madeira, Serpa, Torres Vedras, Trofa, Valpaços, Viana do Castelo, Vila do Conde, Vila Real, Vila Viçosa e Vizela.

Concelhos em situação de alerta

Aljezur, Almeirim, Almodôvar, Amares, Beja, Bragança, Celorico de Basto, Cinfães, Cuba, Entroncamento, Esposende, Évora, Freixo de Espada à Cinta, Mealhada, Miranda do Douro, Mirandela, Montalegre, Moura, Odemira, Oliveira de Azeméis, Pombal, Ponte de Lima, Póvoa de Lanhoso, Resende, São João da Pesqueira, Tomar, Torres Novas, Vale de Cambra, Vila Pouca de Aguiar.

Compartilhar este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *