Concurso nacional “No Poupar Está o Ganho” distinguiu município da Maia com quatros prémios. Conquista fica na história do concelho que, pela primeira vez, traz para casa uma Menção Honrosa de Excelência.

Promovido pela Fundação Dr. António Cupertino de Miranda, o concurso nacional “No Poupar Está o Ganho” distingue os melhores trabalhos nacionais sobre literacia financeira. Este ano, a cerimónia que deu a conhecer os grandes vencedores da décima edição do projeto decorreu em formato online, através dos canais Facebook e do Youtube, no passado dia 19 de junho.

A Fundação António Cupertino de Miranda e o júri do concurso “No Poupar Está o Ganho”, decidiram entregar uma menção honrosa especial ao Município da Maia – Menção Honrosa de Excelência. Esta é a segunda vez que o concurso atribui esta distinção e a primeira no âmbito das Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC’s). Apesar das dificuldades trazidas pela pandemia, todas as turmas das escolas participantes no projeto do Município da Maia apresentaram trabalhos a concurso, e à reconhecida qualidade dos mesmos, que permitiram à Maia “trazer para casa” o 3º lugar do 1º Ciclo e ainda duas menções honrosas.

Este concurso desenvolveu-se em oito turmas de oito escolas da Maia no âmbito da AEC de AGIR, onde o tema da Educação Financeira é uma aposta desde há mais de cinco anos letivos. Além da turma do 4º ano da EB de Crestins, com a professora Mariana Mendes, que venceu, a nível nacional, o 3º lugar na categoria de “Melhor Trabalho” do 1º Ciclo, o júri atribuiu ainda a “Menção Honrosa Apreensão de Conceitos” à turma do 4ºD da EB de Currais, com a professora Dulce Oliveira, e a “Menção Honrosa Replicabilidade” à turma do 4ºD da EB de Folgosa com a professora Ana Silva. Além dos prémios e dos troféus para as Escolas e crianças, será entregue um Troféu ao Município da Maia.

«Não tenho dúvidas que o excelente resultado alcançado, se deve ao empenho dos professores, que conseguiram ultrapassar as dificuldades trazidas pela Pandemia e dar continuidade ao projeto, orientando, à distância, os seus alunos para apresentarem trabalhos no Concurso, mas também, ao extraordinário trabalho desenvolvido pelo Município da Maia», referiu Maria Amélia Cupertino de Miranda, presidente do Conselho de Administração da Fundação António Cupertino de Miranda.

O júri do concurso foi constituído por representantes da Faculdade de Economia da Universidade do Porto, do Banco de Portugal, da Direcção-Geral dos Estabelecimentos Escolares e da Associação Portuguesa de Seguradores.

O projeto “No Poupar Está o Ganho” é apoiado Portugal Inovação Social, através do Fundo Social Europeu e formou, ao longo destes 10 anos, mais de 30 mil crianças e jovens de todos os ciclos de ensino, 17 mil dos quais apenas nas últimas 3 edições.

A cerimónia contou com a participação de Marcelo Rebelo de Sousa, presidente da República, que se referiu à Fundação Dr. António Cupertino de Miranda como «uma referência nacional na Educação Financeira», acrescentando ainda que «ninguém duvida que esta é indispensável. As questões financeiras não são simples, nem podem ser deixadas ao acaso, por isso, a aquisição de conhecimento permite compreender a complexidade desse mundo. Não se pode esperar que sem esse conhecimento o cidadão comum fique apto a tomar decisões certas sobre os seus rendimentos, os seus gastos ou os seus investimentos. Nesse sentido, defendo, há muito, que este conhecimento deveria ser adquirido na escola e desde o ensino básico».

Marcelo Rebelo de Sousa salientou ainda que, através deste projeto, a fundação tem «proporcionado estímulo e apoio a alunos e professores para que estes abordem com segurança a educação financeira em todos os níveis educativos. No poupar está o ganho. Na formação financeira dos portugueses está o futuro. No digital está uma aposta que é também uma revolução de futuro», rematou.

Deixe uma resposta