“Comunic’Arte – Dar voz à Cultura” dá nome ao seminário que encerra ciclo de eventos levados a cabo pelos finalistas do curso de Ciências da Comunicação do ISMAI. Iniciativa realiza-se hoje, pelas 13h30, no auditório principal da instituição de ensino.

É já uma tradição. Todos os anos, perto do fim do primeiro semestre, os alunos finalistas de Ciências da Comunicação do Instituto Universitário da Maia (ISMAI) apresentam os seus melhores dotes de comunicadores em ciclo de seminários.

Valorizar, Refletir e Contemplar a Cultura e a Comunicação no seu expoente máximo é o objetivo central deste Comunic’Arte. O evento, que encerra a programação de dez sessões, trata-se de um projeto educativo que contribui para o processo de aprendizagem da própria comissão organizadora do evento, através da produção de conhecimentos e reflexões sobre o tema em apreço.

«Urge a necessidade de se enaltecer o valor da cultura, salientando a sua posição como parte integrante do património lusitano. E por esse motivo procurou-se distinguir esta área pelos seus aspetos criativos, através da presença de uma panóplia diversificada de convidados, que pudessem presentar o público com as suas histórias e vivências em diferentes fases do seu percurso», adianta a equipa de alunos organizadores do evento.

Nessa medida, subirão a palco nomes como Inês Nadais (atual editora da secção cultural do jornal Público), Hugo Sousa (Humorista), Syro (Cantor) e Leonardo Marques (Ator). Assim como a banda portuguesa Anjos, que marcará presença à distância, através de uma chamada de videoconferência. Para além disso, o evento irá contar ainda com a atuação de temas que se tornaram símbolos da cultura em Portugal, pelo grupo de fados do Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP).

De referir que, pela primeira vez, esta edição introduziu o conceito de transmissões em direto, de todas as sessões, via Facebook.

Estão planeadas duas horas de entretenimento, convívio e conhecimento, assentes na premissa basilar deste projeto, «É crucial erguer o povo à altura da cultura».

Deixe uma resposta