EB Ferronho arrecada 2º lugar no concurso de educação financeira

EB Ferronho arrecada 2º lugar no concurso de educação financeira

A turma do 4º ano da Escola Básica de Ferronho, na Maia, alcançou o 2º lugar do 1º ciclo na final do concurso nacional do projeto “No Poupar Está o Ganho”.

Promovido pela Fundação Dr. António Cupertino de Miranda, o concurso nacional “No Poupar Está o Ganho” distingue os melhores trabalhos nacionais sobre literacia financeira. Este ano, a cerimónia que deu a conhecer os grandes vencedores da décima primeira edição do projeto voltou a decorrer em formato online, através dos canais Facebook e do Youtube, no passado dia 25 de junho. Pela primeira vez, o programa foi às escolas vencedoras para dar a boa nova.

Os alunos do 4ºFN4 da Escola Básica de Ferronho, na Maia, puseram o digital ao serviço da educação financeira e isso valeu-lhes o 2º lugar na categoria do 1º ciclo do Ensino Básico no Concurso Final da iniciativa nacional “No Poupar Está o Ganho”.

Com o projeto “Tim – Time is Money”, a turma criou três aplicações que todos podem descarregar para aprender palavras sobre educação financeira (“TIM Word”), associar estes conceitos ao seu significado (“TIM Guide”) e responder a perguntas (“TIM Quiz”). 

Este concurso desenvolveu-se, pela primeira vez na história do município, em 14 turmas de 14 escolas diferentes da Maia no âmbito da das Atividade de Enriquecimento Curricular (AEC) de Cria+, onde o tema da Educação Financeira é uma aposta há cerca de uma década.

Recorde-se que no ano passado, pesar das dificuldades trazidas pela pandemia, todas as turmas das escolas participantes no projeto do Município da Maia apresentaram trabalhos a concurso que permitiram à Maia “trazer para casa” o 3º lugar do 1º Ciclo e ainda duas menções honrosas. A equipa “ganhadora” de professores do ano letivo passado foi convidada pela Fundação Dr. António Cupertino de Miranda para voltar a participar no concurso, a que se juntaram as habituais sete novas turmas, propostas pelo município.

«A escola é a oficina da vida»

Para Emília Santos, vereadora da Educação da Câmara Municipal da Maia, «a participação começou por ser tímida, mas hoje, o programa No Poupar Está o Ganho encontra-se consolidado e é parte integrante da nossa política educativa». Por isso, reforça que «acreditamos convictamente que é na escola que se constrói o futuro. A escola é a oficina da vida. Na atualidade, saber gerir os recursos financeiros é uma vantagem competitiva.

 Conceitos como empréstimo, juro, investimento, orçamento, poupança, bens essenciais e supérfluos são utilizados pelas crianças com toda a propriedade. E este conhecimento não só lhes é útil hoje, como será no seu futuro e claro, as crianças são transmissoras de conhecimento e esta consciência da gestão financeira chega a casa, o que demonstra o impacto social que o trabalho que tem vindo a ser feito pela Fundação Dr Cupertino de Miranda é eficaz», disse ao Jornal da Maia.

«O resultado mais importante foi o impacto criado na vida destes alunos»

Pedro Morais, professor AEC e responsável pela implementação do projeto na turma, acredita que «este ano correu muito bem e estou simplesmente muito feliz com o resultado».

Quanto à reação dos alunos, o professor comenta que «ao ouvirem que tinham ganham o prémio de 2º lugar no concurso “No Poupar Está o Ganho” foi de puro choque e admiração.

O resultado mais importante da entrega de prémios foi o impacto criado na vida destes alunos. Não só a aprendizagem de Educação Financeira lhes ensinou a ter uma perspetiva mais realista da vida, como foi capaz de lhes trazer um momento que recordarão para o futuro», revelou ao Jornal da Maia.

Pedro Morais reflete sobre uma citação da qual desconhece o autor, mas que o acompanha nos desafios a que se submete. «“Na jornada da vida, todo o esforço e dedicação serão recompensados”, não sei se esta frase tem autor, mas gosto de a levar comigo para relembrar em dias difíceis e para ensinar a todos os alunos, especialmente àqueles que mais precisam de a ouvir».

Participação de mais de 9 mil alunos

Há 11 anos que o “No Poupar Está o Ganho” tem como objetivo promover a literacia financeira nas crianças e jovens, abordando temas como a poupança, a gestão e importância do dinheiro e o consumo responsável. O projeto chegou já a 40 mil crianças de 40 municípios e só neste ano letivo participaram mais de 9.000 alunos de 500 turmas. “No Poupar Está o Ganho” decorre ao longo de cada ano letivo e culmina num Concurso Final anual, que este ano contou com a participação de turmas de vários municípios da região norte.

Todos os projetos foram avaliados por um júri, que selecionou 14 turmas vencedoras, apuradas por nível de ensino, desde o pré-escolar ao ensino secundário, premiando assim o trabalho de cerca de 300 alunos dos distritos de Braga (6 escolas), Porto (6), Viana do Castelo (1) e Vila Real (1).

 «Estamos certos de que o impacto do projeto na formação destas crianças e jovens leva também a mudanças positivas junto das suas famílias», adianta Maria Amélia Cupertino de Miranda, Presidente da Fundação Dr. António Cupertino de Miranda.

 A partir de setembro, o “No Poupar Está o Ganho”, desenvolvido pela Fundação Dr. António Cupertino de Miranda, abre novamente inscrições, disponíveis para todos os professores que queiram promover a literacia financeira dos seus estudantes. São fornecidos todos os recursos necessários para que o projeto seja implementado nas escolas, desde a formação dos docentes e planos de aula, aos exercícios, jogos e desafios para os alunos, que podem ainda fazer uma visita online ao Museu do Papel Moeda.

Compartilhar este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *