Presidente da Câmara Municipal da Maia anunciou esta tarde as medidas adotadas pelo município para combater a 2ª vaga da pandemia COVID-19.

A informação foi avançada através de uma mensagem de António Silva Tiago, divulgada esta tarde na página oficial do Facebook da Câmara Municipal da Maia.  

Devido ao crescimento do número de infeções por COVID-19, com particular intensidade na Área Metropolitana do Porto, na qual a Maia se integra, a autarquia maiata decidiu, em conjunto com as autoridades de Saúde Pública e outras autarquias, implementar algumas medidas que «contribuirão para quebrar as cadeias de transmissão da doença».

Para Silva Tiago importa que «todos e cada um de nós se assuma como um agente de saúde pública e faça a sua parte no combate ao vírus».

A primeira medida é direcionada para o Dia dos Fiéis Defuntos, que se assinala este domingo, 1 de novembro, e para o qual o Governo já decidiu limitar a circulação entre concelhos.

«Não tendo a Câmara da Maia direta responsabilidade na gestão dos cemitérios no nosso concelho, não pode alhear-se do potencial de transmissão do vírus que a aglomeração de pessoas nos cemitérios pode representar no atual contexto de pandemia», explica o presidente, ao adiantar que os cemitérios do concelho estarão encerrados entre 31 de outubro e 2 de novembro.

Esta medida «é tomada pelas freguesias com sentido de responsabilidade, em defesa de todos, seguindo recomendações das autoridades de saúde pública».  também aplaude decisão, comentando que «conta com a minha solidariedade pessoal e institucional».

Alem desta, outras medidas serão implementadas a fim de «evitar que venha a ser necessário decretar novos confinamentos obrigatórios». Assim, Silva Tiago adianta as seguintes medidas adotadas pela autarquia: retoma das campanhas de sensibilização para as medidas gerais de prevenção da Covid-19; alargamento do funcionamento da Linha Verde Institucional; reabertura do Centro de Rastreio móvel da Covid-19; regresso da lavagem e higienização dos espaços e equipamentos públicos; intervenção da PM na sensibilização da população para o cumprimento das medidas decretadas, nomeadamente o distanciamento social e o uso de máscaras; reabertura de uma estrutura de acolhimento numa unidade hoteleira, destinadas a pessoas Covid negativo, dependentes e sem retaguarda de apoio.

No final da mensagem, o presidente apela para que todos cumpram as regras e orientações das autoridades de saúde pública, e termina dizendo que «conhecendo a Maia e os maiatos, como conheço há muitos anos, sei que vamos resistir juntos. Vamos vencer a doença e sair desta crise mais fortes e coesos. Podem contar comigo e com a Câmara da Maia para essa luta».

Fotografia com direitos reservados

Deixe uma resposta