Concluída eletrificação da linha Porto-Vigo

Concluída eletrificação da linha Porto-Vigo

Apelo histórico do Eixo Atlântico está concluído. Eletrificação do troço ferroviário Guillarei-Tui já foi testada. Ligação ferroviária aguarda agora autorização para iniciar o serviço.

Todos os testes necessários para se colocar em funcionamento a eletrificação do troço ferroviário Guillarei-Tui, na província galega de Pontevedra, estão concluídos, incluindo a circulação dos comboios eletrificados em testes, conforme confirmou o Administrador das Infraestruturas Ferroviárias (Adif) ao Eixo Atlântico, uma medida que se insere na reivindicação histórica do Eixo para a ligação ferroviária da Euro-região Galiza-Norte de Portugal, e que aguarda autorização da Agência Espanhola de Segurança Ferroviária para iniciarem o serviço. A isto soma-se a também recente finalização da eletrificação do troço português Viana do Castelo-Valença do Minho, que se encontra em período e testes e que que permitirá que este troço entre em funcionamento, previsivelmente, em abril.

O Eixo Atlântico manifesta a sua satisfação pelo avanço da ligação ferroviária entre a Galiza e Portugal, embora volte a recordar ao Governo de Espanha «a necessidade de viabilizar a saída sul ferroviária com a tramitação do troço Vigo-O Porriño para se conseguir ter tempos competitivos na ligação ferroviária entre A Coruña e Lisboa». Para tal, o Eixo atlântico avança que é apenas «necessário licitar o estudo informativo preliminar, etapa inicial obrigatória para iniciar todo o processo de construção do novo troço até à fronteira que faz a ligação com a nova linha Fronteira-Porto, que já está a ser tratado pelo governo de Portugal, e cuja previsão é que esteja operacional antes de 2030».

«Os avanços na ligação ferroviária entre a Galiza e o Norte de Portugal, para os quais o Eixo Atlântico trabalha há mais de uma década, são um sucesso para os cidadãos. É uma boa notícia, mas lamentamos o atraso em Espanha para impulsionar a saída sul de Vigo», referiu o Secretário-Geral do Eixo Atlântico, Xoán Vázquez Mao.

O Eixo Atlántico, com 29 anos de existência, é o sistema urbano transfronteiriço mais antigo da Europa. Com as novas incorporações aprovadas este ano atinge a cifra de 39 sócios, com uma população de sete milhões de habitantes entre a população direta e indireta, sendo a terceira zona urbana da Península Ibérica (atrás de Madrid e Barcelona e Lisboa) e uma das dez primeiras na Europa.

A defesa das infraestruturas de comunicação tem sido uma das constantes do Eixo nos últimos 25 anos, inicialmente centrada na linha Porto-Vigo, que posteriormente foi alargada ao eixo vertical Ferrol-A Coruña-Lisboa, e ao mapa ferroviário da Galiza que inclui a rota Ferrol-A Coruña-Lugo, Lugo-Ourense e a saída para França via O Barco de Valdeorras, que já está configurada pela UE como a rota galega do Corredor do Atlântico.

Compartilhar este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *