Já há alguns anos em laboração na Maia, ao início da tarde de ontem, dia 19 de fevereiro, realizou-se o primeiro Conselho Municipal de Educação da Maia (CME) deste mandato, nos Paços do Concelho.

 O CME é um órgão que visa promover, a nível mundial, a coordenação da política educativa, juntando os agentes educativos e parceiros sociais, por isso, a iniciativa contou com a participação de todos os diretores dos agrupamentos de escola ou escolas não agrupadas.

Em cima da mesa estiveram os seguintes temas:
– Intervenções de requalificação do parque escolar 1º, 2º e 3º ciclos;
– Segurança dos espaços escolares/acessos/ cobertura de recreios;
– Pessoal não docente;
– Políticas municipais de Escola a Tempo Inteiro;
– Rede Escolar;
– Rede de ofertas formativas;
– Cultura do Mérito;
– Atualização da carta educativa e plano estratégico educativo municipal.

Emília Santos, vereadora com o pelouro da Saúde e da Educação da Câmara Municipal da Maia, apresentou os vários pontos da ordem de trabalhos, onde enumerou, entre eles, as problemáticas «comuns a todos os estabelecimentos de ensino» do sobreaquecimento das salas de aula e do estado do espaço de recreio sobre as quais está a ser formulado um projeto tipificado para todas as escolas pelo arquiteto Carlos Silva e ainda um levantamento de todos ao agrupamentos que deverá terminar até ao final do presente mês.
Referiu ainda um investimento total de 7 milhões de euros na requalificação das EB 2/3 da Maia, Gueifães e EB e Secundária Dr. Vieira de Carvalho que se traduzem num investimento para o município de 2 milhões para a primeira e de 2,5 para cada uma das restantes.
Num desafio lançado pela DGEstE – Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares, através do seu representante José Mesquita, será também levada a cabo a remoção de amianto na EB 2/3 do Castêlo da Maia, com numa participação de 26% do município. «Com isto, removemos todo o amianto em escolas da Maia», assegurou a vereadora da Educação.
Entre as diversas matérias trabalhadas durante o CME, foi ainda discutida a falta de assistentes operacionais no pré-escolar e no 1º ciclo do ensino básico que, para Emília Santos, «é um problema não só da Maia, mas de todo o país». Para combater a situação foram contratados 10 tarefeiros e ainda aberto um concurso para a aquisição de 16 operacionais a tempo inteiro, mais 7 para a bolsa de substituição.

A garantia é de que no próximo CME da Maia voltar-se-ão a discutir novamente alguns dos assuntos já debatidos, e serão também trazidos novos temas como:
– Flexibilização;
– Medidas de desenvolvimento educativo no âmbito do apoio a crianças e jovens com Necessidades Educativas Especiais, através da organização de atividades de complemento curricular;
– Adequação da rede de transportes por forma a responder a algumas necessidades.

Este órgão é atualmente liderado pelo presidente da Câmara, António Silva Tiago, e integra os seguintes membros:
Alberto Carlos Santos – representante das Associações de Pais e Encarregados de Educação
Ana Gonçalves – representante dos Serviços de Segurança Social
António Lopes Marinho – representante das Associações de Pais e Encarregados de Educação
Avelino Leite – representante dos Serviços de Emprego e Formação Profissional
Benjamim Moreira de Sousa – Diretor de Agrupamento
Carlos Joaquim Ascensão Vieira – representante da Assembleia Municipal
Emília de Fátima Moreira dos Santos – Vereadora da Educação e Ciência
Eurico Araújo – representante dos Serviços Públicos da área da Juventude
Fernando Hernâni Bento – representante das Instituições de Ensino Superior Privado
Filipa José de Sousa Costa – representante dos Serviços Públicos de Saúde
José Luís Pereira Cerqueira – representante das Forças de Segurança
José Nuno Torres Magalhães Vieira de Araújo – representante do pessoal docente do Ensino Secundário Público
José Octávio Mesquita – representante da DGEstE
José Paulo Esteves da Cunha – representante do pessoal docente do Ensino Básico Público
Luís Filipe Barros – representante das Associações de Estudantes
Luís Manuel Teixeira Barros – representante das Forças de Segurança
Luís Miguel Madureira Baptista Ferreira – Diretor de Agrupamento
Manuel Carneiro Ferreira – Diretor de Agrupamento
Marco António Esteves Marques – Diretor de Agrupamento
Maria da Conceição Costa Carneiro – Diretora de Agrupamento
Maria Fernanda Drumond – representante das Instituições Particulares de Solidariedade Social
Rui Manuel Oliveira Duarte – Diretor de Agrupamento
Sérgio Manuel Moreira Almeida – Diretor de Agrupamento

 

 

 

 

Deixe uma resposta