País regista um aumento de 73,7% no abastecimento do cereal usado para pão, bolos, bolachas e massas alimentícias, em comparação com período homólogo do ano passado.

As empresas de Navegação do Grupo Garland movimentaram 55.206 toneladas de trigo para as indústrias de panificação, bolachas, bolos e massas alimentícias nos dois últimos meses. Em março e abril, aquela que é uma das mais antigas agências de navegação do país, em operação desde 1855, movimentou 27,7% do total de trigo descarregado nos portos de Leixões e Lisboa.

Nos dois últimos meses, foram movimentadas 199.133 de trigo em todo o país, mais 73,7% que em igual período do ano passado. Estes dados parecem confirmar o aumento do consumo de pão em Portugal desde que se iniciou a pandemia Covid-19 em Portugal. Em confinamento, os portugueses regressam ao essencial e às suas origens, e nas suas mesas não pode faltar pão. Além disso, há uma tendência cada vez maior para o DIY (acrónimo de “Do It Yourself”, que significa “Faça Você Mesmo”), pelo que as farinhas têm vindo a desaparecer das prateleiras dos supermercados para integrar receitas de bolos e/ou pão caseiros.

Em Leixões, foram movimentadas, em março e abril, um total de 96.490 toneladas de trigo, mais 55,8% que em igual período do ano passado, em que foram atendidos navios com um total de 61.950 toneladas de trigo. No porto de Lisboa o crescimento foi ainda mais acentuado: em março e abril foram movimentadas 102.643 toneladas de trigo contra 52.663 no mesmo período de 2019, verificando-se um aumento de 94,9%.

Só as empresas de Navegação da Garland movimentaram 22% do total de trigo descarregado em Leixões e 33,1% do que chegou a Lisboa, totalizando uma quota de mercado de 27,7% no total de trigo movimentado nos portos nacionais.

Deixe uma resposta