Doce de Território Maiato é candidato às “7 Maravilhas Doces de Portugal”. 

A Maia tem, pela primeira vez na história do município, um produto gastronómico nomeado candidato para compor o quadro do que de melhor se faz em território nacional.

O “Toucinho do Céu à Maiata” integra o receituário da Maia que reúne inúmeras receitas das mais invejadas iguarias do concelho.

A candidatura desta doçaria regional à oitava edição do concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal”, na categoria de Doce de Território, foi levada a validação pelas mãos da Real Confraria Gastronómica das Cebolas, em parceria com a Unidade de Turismo da Câmara Municipal da Maia e o Agrupamento de Escolas do Castêlo da Maia.

Esta parceria entre as três entidades surge para a «investigação, promoção e fomento dos produtos endógenos do nosso território», refere Ricardo Cruz, Grão Mestre Chanceler da Real Confraria Gastronómica das Cebolas.

O pequeno «tesouro inexplorado do passado», como descreve, mantém, imaculadamente na sua perfeição, os ingredientes e modo de preparação praticamente originais. Paulo Correia, professor e diretor do Curso de Hotelaria do Agrupamento de Escolas do Castêlo da Maia, explica que apenas foi reduzida a quantidade de açúcar. Questionado pelo MaiaHoje sobre o que torna este doce diferente e tão especial comparado com o já conhecido, o professor destacou a forma de cozedura e o ingrediente chave, o sumo de laranja, que mais nenhum integra.

 

Apresentação histórica acompanha candidatura

Breve apresentação histórica, anexa à candidatura, pelo Prof. Maia Marques:

A acompanhar a candidatura, notícia que tem sido tão bem recebido no concelho, foi uma breve apresentação histórica da autoria do historiador Maia Marques, onde pode ler-se:

«A Terra da Maia, que ia do rio Leça ao rio Ave, outrora uma unidade territorial e, ainda hoje, uma unidade cultural, foi região de muitos mosteiros e conventos. Por isso mesmo é profundamente rica na chamada doçaria conventual.

Os Conventos e Mosteiros, a maior parte deles fundados por reis e príncipes (para além dos instituídos por autoridades clericais), eram por eles dotados de prebendas e direitos que lhes garantiam subsistência razoavelmente abastada e farta, até 1834, data da extinção das ordens Religiosas em Portugal.

Muitos acolhiam filhas da nobreza e das famílias mais ricas que, além dos seus dotes, traziam consigo hábitos de alimentação e receitas familiares que originaram requintadas preparações gastronómicas e doçaria rica e por vezes complexa.

As suas criadas, que muitas vezes as acompanhavam nos conventos, mas que também muitas vezes as deixavam, foram certamente responsáveis pela divulgação de algumas receitas que foram entrando nas tradições portuguesas.

Este tipo de doces, caracterizado pela profusão de ovos e açúcar, não estavam ao alcance do pequeno lavrador, do rendeiro, enfim, do maiato em geral. Só as grandes famílias, os nobres (que não estivessem falidos como muitos) e os estabelecimentos religiosos os podiam confecionar.

É o caso deste “Toucinho do Céu da Maia”, doce de tempo de festa, que se distingue de várias outras receitas idênticas por usar o sumo de laranja que lhe confere um sabor único entre os seus congéneres».

 

Maia vai ter Carta Gastronómica da Terra

Em parceria, a Real Confraria Gastronómica das Cebolas, o Agrupamento de Escolas do Castêlo da Maia e o Turismo da Maia, têm vindo a fazer a promoção, fomento e consciencialização do uso do receituário tradicional do território maiato, como meio diferenciador positivo para os estabelecimentos de restauração e pastelarias locais: «só aqui poderão encontrar estas receitas tornando-se desta forma numa mais valia».

Revelaram que «estamos também a trabalhar no projeto de elaboração da Carta Gastronómica da Terra da Maia, uma pesquisa de grande amplitude para a qual contamos com a ajuda de todas as forças vivas locais».

Após submetida a candidatura do “Toucinho do Céu à Maiata” às 7 Maravilhas Doces de Portugal, segue-se uma seleção por um painel de especialistas dos sete candidatos finalistas por distrito em cada categoria com votação pública em julho.  A Grande Final decorrerá a 7 de setembro e será transmitida em direto na RTP1.

 

RECEITA Toucinho do Céu à Maiata

Ingredientes
Massa
500 gr de miolo de amêndoa
400 gr de açúcar
12 gemas
3 claras
Sumo de 1 laranja

Modo de Preparação
Bata ligeiramente o açúcar com as gemas
Incorpore os restantes ingredientes
Leva ao forno a 190º cerca de 10 minutos em forma forrada com papel vegetal e manteiga
Depois de desenformado sirva polvilhado com açúcar em pó.

 

Deixe uma resposta