A Câmara Municipal da Maia vai investir 3,35 milhões de euros, acrescidos de IVA, para «reduzir para metade as perdas de água na rede pública de abastecimento», indicou o presidente, António da Silva Tiago, no passado dia 6 de fevereiro, um dia depois de ter sido aprovado, em reunião de executivo camarário, o lançamento de concurso público para a Gestão da Eficiência Hídrica no Sistema de Abastecimento de Água da Município da Maia.
O prazo de execução do projeto está previsto para cinco anos e o objetivo é, segundo a informação divulgada pela autarquia, «reduzir de forma significativa as perdas de água na sua rede pública de abastecimento, com os consequentes benefícios ambientais derivados do uso responsável e sustentado dos recursos hídricos, além dos financeiros ligados ao pagamento da água adquirida e não faturada por via das perdas».
«O período de seca prolongada que ainda vivemos no país lembra-nos a necessidade premente de fazermos um uso responsável da água e de todos os recursos naturais, que não são inesgotáveis. Na Maia, essa preocupação está sempre presente no nosso espírito», referiu Silva Tiago à agência Lusa, acrescentando que a Câmara Municipal da Maia aposta «na sustentabilidade como fator desenvolvimento e isso revela-se, agora como no passado, nos investimentos que fazemos. É nossa obrigação fazer uma gestão responsável dos recursos naturais a assegurar um futuro sustentável para as próximas gerações», disse.
Este projeto visa uma rede pública, responsável pela cobertura da totalidade do território concelhio, cuja extensão ronda os 600 quilómetros, somando-se 20 mil ramais domiciliários e mais de 4.500 bocas de incêndio.

Deixe uma resposta