10 lojas a abrir em Portugal até final do ano, num investimento de 160 milhões de euros. Mercadona apresenta-se à comunidade local.

No grande Porto, a primeira loja abre a 2 de julho em Canidelo, V.N. de Gaia, seguindo-se a de Matosinhos a 09 , na Maia a 16 e a de Gondomar a 23 de Julho.

Na Maia, entre os próximos dias 11 e 28 de junho, a Mercadona irá fazer sessões de apresentação na Casa do Povo de Vermoim “aos seus vizinhos”. Nestas sessões, a empresa pretende dar a conhecer a sua política e os seus produtos.

A Mercadona é uma empresa familiar de capital 100% espanhol. Em 2016, decidiu pôr em marcha o seu projeto de internacionalização, e em junho, criou a sociedade Irmãdona Supermercados, S.A., com sede e escritórios centrais no Porto e domicílio fiscal no país.

O início do projeto em Portugal «representa um investimento de 160 milhões de euros, grande parte destinados à construção de supermercados previstos abrir até final deste ano», referem.

Em Matosinhos criou, em junho de 2017, o Centro de Coinovação, um macro laboratório de ideias, com cerca de 1000 m2. «Neste centro, as equipas de trabalho estudam ao detalhe os gostos e hábitos de consumo dos seus clientes, a que chamamos de “chefes”. Com um modelo de gestão próprio, colocamos o Chefe no centro de qualquer decisão. É graças a este Modelo de Qualidade total, que nos temos consolidado e expandindo, sendo motor de crescimento partilhado nos locais onde estamos presentes, através da criação de emprego, prosperidade e riqueza», explicam.

A Mercadona está a construir na Póvoa de Varzim, numa área total de 50.000 m2, um bloco que servirá para o desenvolvimento da atividade logística em Portugal.

Com cerca de 1400 fornecedores, dos quais 250 portugueses, conta com cerca de 5000 produtos que abrangem a área de alimentação e bebidas, higiene pessoal, casa e animal.

Em Portugal conta já com 700 colaboradores, efetivos, prevendo que este número cresça para os 1000 até final do ano.

Na Maia, a Mercadona ficará situada em Vermoim, em frente à REN.

Deixe uma resposta