O Movimento cívico Matosinhos Independente, fundado há um ano por Joaquim Jorge, realiza amanhã, 26 de setembro, a sua terceira reunião operacional, em Leça do Balio, de olhos postos nas próximas eleições autárquicas que decorrem em 2021.

Joaquim Jorge pôs fim ao Clube dos Pensadores, para se dedicar a este novo projeto, alegando que «já não se justifica continuar a fazer debates». O Clube dos Pensadores realizou perto de 130 debates ao longo de quase 14 anos.

«Hoje em dia há debates para todos os gostos e feitios, porventura debates a mais», afirma.

Pelo Clube dos Pensadores passaram figuras como Marcelo Rebelo de Sousa, António Costa, Rui Rio, Jerónimo de Sousa, Catarina Martins e Assunção Cristas, entre outros.

Agora, dedica-se ao movimento que tem como suporte uma Plataforma de Candidatura à CM Matosinhos 2021 que tem realizado vários encontros e reuniões. A terceira reunião operacional, aberta ao público em geral, decorre amanhã, dia 26 de setembro, em Leça do Balio.

O movimento pretende auscultar a opinião dos residentes de cada freguesia e recolher as assinaturas para poder concorrer em outubro de 2021, como independentes à Câmara Matosinhos.

Joaquim Jorge explica que «este movimento cívico, como emana da sociedade civil, necessita de 15 mil assinaturas para poder concorrer, ao contrário dos partidos que não necessitam desta prerrogativa». Acrescenta ainda que «em Matosinhos, os vínculos ao PS são relativamente fortes (já foram mais) pelos subsídios e outro tipo de benesses.

Os matosinhenses votam PS porque é mais cómodo e há uma espécie de lealdade em função de favores feitos ao longo destes anos. Contudo, em Matosinhos nunca houve uma verdadeira alternativa para os matosinhenses poderem optar.

Para que uma democracia funcione, primeiro de tudo é necessária uma alternativa de poder, e que as pessoas não se demitam das suas responsabilidades, se comprometam a participar na sociedade civil e também demonstrem capacidade de discernimento. O Matosinhos Independente quer ser uma alternativa e uma referência».

 

Matosinhos Independente quer ser «uma alternativa»

«Passam-se coisas muito estranhas e tudo cai no esquecimento com o tempo», expõe Joaquim Jorge que admite que «o Matosinhos Independente e eu não aceitaremos situações deste tipo».

O também fundador do Clube dos Pensadores diz referir-se a «contratos de prestação de serviços por ajuste direto, no âmbito dos contratos de delegações com as Uniões de Freguesia celebrado com a Sociedade Olga Maia, unipessoal, Lda. no valor de 70.000€.; temos que acabar com casos como Realidade Social como o negócio que se traduziu num prejuízo de 4 milhões para a autarquia para salvar a candidatura da autarca do PS; o estado do Raf Park, no Monte de São Brás, em Santa Cruz do Bispo, com duas piscinas abandonadas, um edifício de três blocos com os interiores destruídos e outras três estruturas cuja construção ficou a meio;  negócios como o que a CM de Matosinhos fechou em 2010 com um investidor na promessa de construir um hotel no terreno permutado com a autarquia que mais tarde recuperou em troca de 4 parcelas com mais área global, mas igual área construtiva; manter uma empresa pública que numa primeira fase o Tribunal de Contas foi pela sua extinção, mas depois alterou a sua posição a pedido da sua reconstituição; o caso das golas com  Gilberto Gonçalves, Comandante dos Bombeiros de S. Mamede de Infesta, a ser alvo de busca pelo MP e PJ e o DCIAP a considerar que as suspeitas estavam associadas ao favorecimento do PS Matosinhos, por motivações políticas, num contrato que era de 104.000€, quando somente foram vendidos por 29.000€», disse.

Joaquim Jorge acredita que «a CM Matosinhos está transformada numa comissão de festas e num comité eleitoral permanente, com gastos no valor de 1.250.000€. Não somos contra festas e eventos, mas achamos que os matosinhenses devem ter, em primeiro lugar, qualidade de vida durante todo o ano: IMI mais baixo; preço da água mais baixo; recolha de lixo eficiente; ruas sem buracos e devidamente sinalizadas; iluminação das ruas e locais; policiamento em condições; jardins arranjados; praias limpas e sem poluição; entre outros».

Deixe uma resposta