Corpo estará ao final da tarde de hoje em Câmara Ardente. Funeral é amanhã, às 11 horas, no Santuário de Nossa Senhora do Bom Despacho.

O Jornal da Maia tomou conhecimento que faleceu hoje Fernando Almeida, com 100 anos, Irmão Benemérito e Provedor Emérito da Santa Casa da Misericórdia da Maia, foi vereador da CM Maia entre 1969 e 1972, membro do Conselho de Administração dos Serviços Municipalizados, membro do Conselho Municipal, fundador do Futebol Clube da Maia e do Jornal da Maia, medalha de Alto Mérito e medalha de Abnegação e Altruísmo.

O corpo de Fernando Almeida estará em câmara ardente ao final da tarde de hoje, 30 de outubro, na Capela da Junta de Freguesia da Maia. O funeral será realizado amanhã, às 11 horas, no Santuário de Nossa Senhora do Bom Despacho, indo a sepultar no Cemitério Municipal da Maia.

António Silva Tiago, presidente da Câmara Municipal da Maia, disse, em declaração prestada ao MaiaHoje, sentir-se «invadido por um sentimento de tristeza e imensa saudade pela perda de mais um amigo. Nutríamos um pelo outro uma estima e apreço pessoal invulgares. O Senhor Fernando Almeida completou no passado dia 1 de Janeiro um século de vida, preenchidíssima e fecunda no serviço ao próximo e ao bem-comum. Guardarei dele, sempre a imagem de um homem de verbo fácil, mas cuidado, esmerada educação, nobreza de caráter, sorriso sempre largo e aberto para todos. Foi um cidadão exemplar, que embora não fosse maiato por nascimento, cedo se tornou um maiato do coração, exercendo cargos como por exemplo, membro do Conselho Municipal, Vereador da Câmara Municipal da Maia (1969-1972) e membro do Conselho de Administração dos Serviços Municipalizados da Maia. Na prestigiada instituição de que foi um dos fundadores, Santa Casa da Misericórdia da Maia, foi Vice-Provedor de 1990 a 2002 e Provedor, de 2003 a 2005. Curvo-me com profundo respeito diante a sua memória e expresso à sua digníssima família, nesta hora de pesar, em meu nome pessoal e em nome da Câmara Municipal da Maia, as minhas mais sentidas condolências».

Bragança Fernandes, ex-presidente de Câmara e actual presidente da Assembleia Municipal da Maia disse, a propósito, ao Maiahoje que «Foi com grande pesar que recebi esta triste notícia do falecimento de um amigo, de um maiato de excelência, de uma pessoa com um coração enorme, de um homem que, à sua humilde maneira, foi também ele responsável pela construção da Maia dos nossos dias, em especial pelo carinho com que abraçou e fundou a Misericórdia da Maia, em prol dos maiatos menos favorecidos. Homens destes fazem falta à Maia. Tive o privilégio de o poder homenagear em vida. Tenho também de salientar a amizade pessoal e familiar que nos unia, principalmente ao meu pai. À família enlutada, nesta hora de dor que partilho, deixo os meus mais profundos sentimentos pela perda».

O MaiaHoje e o Jornal da Maia, endereça a família enlutada os seus mais sentidos pêsames. A propósito o director das referidas publicações, Artur Bacelar, testemunhou que «faleceu um dos mais prestigiados maiatos da actualidade. Conheci-o já como jornalista e fiquei muitíssimo impressionado pela sua educação, trato e objectividade, um Senhor na verdadeira acepção da palavra. Soube como ninguém prestigiar a Maia e representá-la através da “sua” Santa Casa da Misericórdia” onde deixou obra. Era o patriarca da família e ancião respeitável. É uma perda tremenda, um Homem que em funções e responsabilidades diferentes, pela educação e visão, equiparo a outro grande maiato, Vieira de Carvalho», disse a propósito.

 

Uma vida de abnegação e altruísmo
Fernando de Almeida, nasceu no Lugar do Araújo, Freguesia de Leça do Balio, Concelho de Matosinhos, em 1 de Janeiro de 1918. Após o ensino primário continuou os seus estudos na antiga escola prática e comercial Raul Dória na cidade do Porto, onde concluiu o curso de Guarda Livros.
Iniciou a sua vida profissional na empresa vidreira Barbosa & Almeida, tendo exercido vários cargos na gestão da empresa ao longo de quase 40 anos e de onde se reformou.
Foi atleta do Sporting Clube do Araújo, chegando a ser capitão da equipa.
Na Escola Raul Dória conheceu uma maiata com quem se casou aos 25 anos e para a Maia veio viver, onde constituiu a sua família.
Maiato por opção, desde logo se apaixonou por esta terra, começando a participar em tudo que estivesse ligado ao progresso desenvolvimento deste Concelho na altura, anos 40, ainda muito atrasado e que marcou a sua vida por uma profunda ligação a todo o seu desenvolvimento.
É uma personalidade histórica da Maia que, com a sua enorme capacidade de trabalho, serviu três presidentes de Câmara, onde desempenhou diversas funções, tendo sido galardoado em 9 de Junho de 2001 com 2 medalhas de mérito pelo presidente da Câmara de então, José Vieira de Carvalho.
Durante mais de 60 anos investiu grande parte da sua vida a servir esta gente e esta terra que ele «muito amava», sem nunca ter exigido nada em troca para si.
Homem de fortes convicções, de trato elegante e educado, com grandes dotes oratórios, sempre teve como principal preocupação a solidariedade e, por isso, foi um dos fundadores da Santa Casa da Misericórdia da Maia e, ao longo da sua história, sempre a ela esteve ligado, trabalhando voluntaria e empenhadamente com o objetivo de servir e ajudar cada vez melhor os Maiatos, principalmente os mais frágeis, as crianças e os idosos.
Aos 85 anos foi eleito Provedor da Instituição que ajudou a fundar.
Em Assembleia Geral de 31 de Março de 2007 a “sua” Misericórdia prestou-lhe merecida homenagem declarando-o, por unanimidade e aclamação, Irmão Benemérito.

 

Deixe uma resposta