Durante a manhã de hoje foram apresentados os temas da agenda para 2018 a serem tratados na assembleia geral do Eixo Atlântico que decorrerá na próxima sexta-feira, dia 23 de fevereiro, pela primeira vez na cidade da Maia.

 O Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular é uma associação transfronteiriça de municípios, criada em 1992, com o apoio da Comissão Europeia, que integra atualmente as 37 principais cidades da Euro-região Galiza-Norte de Portugal, configurando o seu sistema urbano. É uma entidade sem fins lucrativos com a missão de «criar condições estratégicas para se construir um território mais coeso, quer do ponto de vista social, ambiental e económico», disse Paulo Ramalho, vereador responsável pelo pelouro das Relações Internacionais.
O secretário geral do Eixo Atlântico, Xoan Vázquez Mao, apresentou as matérias previstas na agenda para este ano, referentes a diversas áreas, que serão discutidas em assembleia geral na próxima sexta feira, entre os quais se destacam:
– Ligação entre Porto-Vigo por caminho férreo, através de um Alfa Pendular, com proposta de passagem pela Maia, e Lisboa-Corunha;
– Colocação do caminho português de Santiago de Compostela ao nível do francês para que, em 2021, as receitas sejam de 400 milhões de euros.

 Maia é ponto estratégico na ligação Porto-Vigo
O Eixo Atlântico pretende modernizar a ligação ferroviária entre Porto e Vigo, utilizando já algumas das linhas existentes, com recurso ao alfa pendular. Nesse sentido, a Câmara Municipal da Maia lança a proposta de que a cidade será um ponto estratégico, também por ter nela instalado o Aeroporto Francisco Sá Carneiro, na ligação entre Porto e Vigo.
A linha do Minho, que liga Porto a Valência, já se encontra modernizada até Nine. Daqui até Viana apenas estão adjudicas as obras. Falta agora a confirmação do Tribunal de Contas para concretizar a ligação entre Viana e Valença, obras que se preveem estar terminadas em 2019 para que em 2020 o alfa pendular esteja pronto a circular.
«Em 2020 vamos ter um comboio entre Porto e Vigo que vai minimizar muito o tempo de percurso, de forma cómoda e, cuja frequência esperamos ver aumentada, uma vez que inicialmente irá existir apenas duas viagens diárias», referiu Xao Mao. Tudo poderá ainda ser melhorado, explica o secretário geral do Eixo Atlântico, se houver uma ligação da Linha do Minho ao Aeroporto Francisco Sá Carneiro e, assim, com ligação da Maia ao Norte e à Galiza.

400 mil peregrinos no caminho português de Santiago é o objetivo para 2021
Segundo um relatório com dados reais da Associação dos Amigos de Santiago, no ano passado as receitas do caminho francês de Santiago de Compostela foram exatamente 400 milhões de euros. São 400 mil os peregrinos registados que anualmente fazem esse caminho e que, entre albergues, almoços, lembranças, entre outros, têm uma despesa média de mil euros cada um. «Queremos que o caminho português de Santiago esteja ao nível do francês em 2021», disse o secretário geral do Eixo Atlântico que acredita que, mais do que religioso, se trata de um percurso cultural europeu.

Maia, um município «de referência» com «grande dose de pioneirismo e inovação»
Para Xoan Vázquez Mao, «a Maia é uma cidade de referência dentro do Eixo Atlântico, é uma cidade estratégica no plano industrial e ambiental, até porque contém uma das infraestruturas principais da Euro-região, o Aeroporto Francisco Sá Carneiro».
António Silva Tiago, presidente da Câmara Municipal, referiu durante o seu discurso que «a Maia é um município de vanguarda, que pauta a sua atividade política, social e económica com uma grande dose de pioneirismo e de inovação, tem orientações estratégicas muito fortes na área da mobilidade sustentável, do ambiente, do desporto, da educação de excelência, da cultura e, portanto, todas essas áreas de intervenção pública e concelhia são, para nós, fontes de grandes preocupações e, ao mesmo tempo, de grande satisfação pelos resultados que vimos atingindo ao longo da nossa governação concelhia. Por isso, estamos completamente irmanados de uma vontade juntamente com os outros municípios, quer portugueses e da região norte e também com os da Galiza», acrescentando que «a minha vontade é que esses projetos sejam discutidos e que possamos dar passos significativos, quer no âmbito da União Europeia, quer no âmbito do Governo português e espanhol», disse a terminar.

O orçamento ultrapassa os 4,5 milhões de euros, dos quais 90 % serão implementados nos programas e os restantes 10% destinados a custos burocráticos.
A assembleia geral, historicamente realizada na Maia, contará com a presença do ministro do Ambiente, Matos Fernandes, na próxima sexta-feira, dia 23 de fevereiro.

Inauguração da “Exposição Eixo Atlântico”
Após a conferência de imprensa dada aos jornalistas sobre a agenda para 2018, foi inaugurada a “Exposição do Eixo Atlântico, no átrio da Torre Lidador, na presença de Xao Mao, secretário geral do Eixo Atlântico, do presidente e do vereador das Relações Internacionais e Cooperação, António Silva Tiago e Paulo Ramalho, respetivamente, a quem se juntou Paula Romão, vereadora da Câmara Municipal.
A iniciativa reúne 28 painéis, a saber, sobre Maia, Narón, Carballo, A Coruña, Ferrol, Barcelos, Braga, Viana do Castelo, Monforte, Lugo, Sarria, Deputación de Lugo, Guimarães, Santiago de Compostela, Valongo, Ourense, O Carballiño, Chaves Verín, Pontevedra, Lalín, Vigo, Vilagarcía de Arousa, Vila do Conde, Matosinhos, Vila Real, O Barco de Valdeorras, Riveira, e um destinado ao Eixo Atlântico.

 

 

A ler na próxima edição do Maiahoje

Deixe uma resposta