A Câmara Municipal da Maia deu início à segunda fase do projeto de inovação pedagógica SUPERTABi ao entregar tablets a mais sete turmas do 1º ciclo de escolas do município.

Nesta segunda fase, o 3º ano da EB1/JI da Guarda, em Moreira, foi a primeira turma a receber a nova ferramenta de aprendizagem pelas mãos do presidente e da vereadora do Pelouro da Educação.

Para António Silva Tiago, presidente da Câmara Municipal da Maia, iniciativas como esta «acrescentam valor ao nosso ensino de excelência que queremos, cada vez mais, que seja uma realidade. Estou muito contente, quer por ter uma equipa na Câmara que trabalha muito bem, quer pelos sete agrupamentos escolares que compõem este município», disse o autarca.

Com a entrega dos tablets a mais sete turmas bem como de um conjunto de 26 tablets e respetivo armário carregador a cada um dos sete agrupamentos do concelho, num total de 364 aparelhos, a autarquia investiu cerca de 160 mil euros, acrescendo a este valor os custos associados à formação de professores, e ao técnico e mentor do projeto, professor Marco Bento.

«Este é um projeto de valorização do ambiente educativo pedagógico», refere Emília Santos, vereadora do Pelouro da Educação, acrescentando que «aquilo que pretendemos é que as crianças tenham uma forma muito mais eficiente de aprender. O objetivo é que elas aprendam brincando, sorrindo e sendo felizes. O método de inovação pedagógica é pioneiro e está a ser desenvolvido pela Europa e em Portugal, em concreto na Maia, razão pela qual todos os anos recebemos mais de 800 professores no concelho que vêm beber aquilo que são as aprendizagens do Supertabi. Aquilo que pretendemos é que a aprendizagem se faça, não através da exposição, mas pela via da procura do conhecimento. Uma criança que é submetida ao projeto SUPERTABi tem índices de criatividade, autonomia, de participação pública, muito mais enriquecidos», adiantou.

O SUPERTABi Maia atua em três vértices, a saber, equipamentos, alteração de práticas pedagógicas e ambiente. Para além da disponibilização de tablets e de um carrinho de carga por turma, o projeto implica a formação e acompanhamento de professores, bem como o equipamento e mobiliário necessário para que a sala de aula se transforme num ambiente educativo inovador, normalmente conhecido como sala do futuro, que na Maia são as salas do presente.

Ricardo Magalhães e Alexandra Albuquerque, respetivamente, presidente e vice presidente da Associação de Pais da EB1/JI da Guarda, acreditam que «este é um projeto aliciante para a turma».

Os dois acreditam que «as novas tecnologias na escola hoje são muito importantes. Esta não é uma ferramenta nova para eles, mas agora vão poder utilizá-la de uma forma pedagógica. A professora vai continuar a trabalhar com os métodos tradicionais e acrescentar uma nova ferramenta que são os tablets. Esta é uma ferramenta muito importante para o futuro das crianças».

Neste ano letivo, o projeto é alargado a mais sete turmas do 3º ano de escolaridade (EB de Moutidos, EB de Gueifães n.º 1, EB do Castêlo da Maia, EB de Pedrouços, EB da Guarda, EB D. Manuel II e EB de Arcos), que se juntam às outras sete (EB da Maia n,º 1, EB de Enxurreiras, EB de Gueifães n.º2, EB do Corim, EB do Castêlo da Maia, EB de Folgosa e EB da Prozela) que iniciaram o projeto em 2017/2018.

Além destas turmas, a Câmara Municipal da Maia vai entregar um conjunto de 25 tablets e um carrinho de carga a cada um dos sete agrupamentos de escolas existentes no concelho. A utilização destes últimos equipamentos ficará a cargo dos diretores de agrupamento. Os tablets entregues estão equipados com software didático e próprio para utilização em ambiente escolar.

Deixe uma resposta