“Presidência aberta” na Vila de Moreira da Maia

A Junta de Freguesia de Moreira, no passado dia 18 de Maio, «fortemente comprometida em pautar a sua ação política pela proximidade, para assim melhor conhecer os problemas e encontrar soluções para a sua resolução, desafiou o executivo municipal a realizar, periodicamente, visitas de proximidade à freguesia», justificou assim a Junta de freguesia o extenso programa de visita de Silva Tiago, presidente da Câmara Municipal da Maia.
Para Carlos Moreira, presidente da Junta de Freguesia pretende-se que a CM Maia «nos acompanhe numa linha de atuação que tem como vetores preponderantes a resolução de problemas e a apresentação de soluções, bem como o fortalecimento de uma relação do proximidade e confiança com os cidadãos».
Intitulado “Roteiro dos Presidentes”, esta primeira iniciativa teve por objetivo «ser um estímulo para a promoção do diálogo estruturado, assente numa cidadania ativa e consciente, entre a Junta de Freguesia de Moreira, a Câmara Municipal da Maia e as demais forças vivas da comunidade maiata e moreirense».
A iniciativa teve início às 9.30h da manhã e percorreu estabelecimentos comerciais; obras de reabilitação da Escola da Feira e à Feira de Pedras Rubras; visitas a colectividades; indústrias; urbanizações e várias artérias da freguesia.

«Fazer com que a comunidade maiata seja genuinamente uma família feliz»
António Silva Tiago disse ao Maia Hoje que esta visita «insere-se no contexto de um roteiro de proximidade que pretendo realizar, para estar in loco com as pessoas e as forças vivas de cada Freguesia, auscultando as suas preocupações, as suas necessidades e os seus anseios, mas também as suas alegrias e os seus motivos de esperança e confiança no futuro. Tomo as minhas notas, sendo que muitas vezes aquilo de que as pessoas me falam são pequenas coisas que embora não tenham grande impacto nas suas vidas, a verdade é que a maior parte das suas sugestões e reparos são facilmente solucionáveis e na realidade tenho recebido depois de resolver essas pequenas questões, chamadas, emails e abordagens pessoais, em que as pessoas expressam a sua satisfação por terem visto esses assuntos resolvidos», disse, acrescentando que «felizmente a nossa comunidade tem todas as grandes necessidades a coberto de infraestruturas básicas que há muito estão acauteladas e satisfeitas. Na Câmara Municipal estamos quotidianamente empenhados em atender e satisfazer esses novos patamares de expetativa das pessoas, por isso conto com uma equipa muito motivada que procura proporcionar à comunidade concelhia sempre o melhor. O melhor na educação que queremos de excelência, o melhor na sustentabilidade ambiental, na sustentabilidade social e na sustentabilidade económica, para garantir a sustentabilidade integral futura. O meu foco é fazer com que a comunidade maiata seja genuinamente uma família feliz, unida, coesa e confiante no futuro coletivo. É por isso que tenho estado e estarei no terreno, não apenas aqui em Moreira, mas em todas as nossas freguesias, para encetar um diálogo aberto, franco e fraterno, promovendo os valores da nossa identidade e deixando sempre a todos uma palavra de esperança», transmitiu.

«Sentimo-nos impotentes em algumas situações»
Já Carlos Moreira no final da visita fez um balanço «muito positivo» dado ter sentido que «a população ficou admirada», com esta iniciativa de proximidade, acrescentando que «sentimo-nos impotentes em algumas situações, não temos capacidade financeira nem logística para combater alguns problemas e, por isso, precisamos da ajuda da Câmara Municipal. Quisemos fazê-lo no terreno, mostrando quais as problemáticas da freguesia e foi muito útil porque enquanto visitávamos alguns locais fomo-nos deparando com alguns moreirenses que expuseram as suas necessidades, muitas das quais estávamos já a debater. Este é um trabalho de partilha e interligação muito forte que não se fica apenas por um dia. A título de exemplo posso dizer que três dias antes, eu e a senhora vereadora da Educação, Dra. Emília Santos, visitamos a Escola de Crestins, a Escola da Feira, a Escola Maestro Samuel Santos, o Centro Social das Guardeiras e o Centro Educativo com idosos, de forma a avaliarmos as suas necessidades e preocupações», disse a propósito.

Deixe uma resposta