Investimento ascende a 15 milhões de euros. Obras deverão estar prontas até abril de 2020. Em apenas 6 anos, o tráfego duplicou para os 12 milhões de passageiros por ano.

O Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, visitou, no passado dia 26, o Aeroporto Francisco Sá Carneiro para acompanhamento dos trabalhos do recente investimento de ampliação do caminho de circulação. Com ele estiveram, entre outros, o presidente da Câmara Municipal da Maia, António Silva Tiago; o autarca do Porto, Rui Moreira; José Luís Arnaut, presidente do Conselho de Administração da ANA Aeroportos de Portugal e Alberto Souto Miranda, Secretário de Estado Adjunto e das Comunicações.

 

Aeroporto em crescimento

Em 2018, o Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, recebeu 11,9 milhões de passageiros, um número que representa uma subida de 10,7% relativamente ao ano anterior.

No primeiro trimestre deste ano, o crescimento mantém-se, tendo sido registada uma subida no número dos passageiros processados de 9,5%, relativamente a igual período de 2017.

A elevada procura do Aeroporto do Porto tornou possível que, este ano, passe a estar ligado a 78 destinos (mais 6 que em 2018) e a ter disponível 89 rotas (mais 7 que em 2018), operadas por 28 diferentes companhias aéreas.

A par do crescimento continuo, registado nos últimos anos, e do aumento do tráfego de passageiros, o terminal do Aeroporto Francisco Sá Carneiro beneficiou recentemente de uma reconfiguração interna que veio trazer grandes benefícios em termos de segurança e de circulação de passageiros, tendo sido criado mais espaço disponível. Foram adicionadas e reorganizadas novas ofertas comerciais, aumentando a atratividade e a conveniência para os passageiros (também no seu trajeto). Hoje, estão presentes na infraestrutura 17 espaços de restauração (restaurantes, cafés e bares) e 45 lojas.

O Airports Council International (ACI) distinguiu-o como “melhor Aeroporto Europeu na categoria 5 a 15 milhões de passageiros”. Esta distinção surge no âmbito do estudo Airport Service Quality Survey (ASQ), programa líder mundial em “benchmarking” na Avaliação da Satisfação dos Passageiros, cujos resultados têm por base os questionários preenchidos pelos passageiros que, assim, transmitem a sua opinião acerca de indicadores como os tempos de espera, cortesia dos funcionários, limpeza das instalações, entre outros. Este foi o 13.º prémio que o Aeroporto do Aeroporto Francisco Sá Carneiro recebeu no âmbito deste programa do ACI.

 

Obras visam agilizar parqueamento de aeronaves

Pelo crescimento registado e os vários prémios de excelência recebidos, se compreende o investimento agora anunciado de 15 milhões de euros, essencialmente em trabalhos na pista, nomeadamente nos acessos, de forma de agilizar o tempo que medeia entre a aterragem e o parqueamento de aeronaves.

O evento incluiu uma sessão de apresentação do projeto de investimento, seguida de visita guiada aos principais pontos da infraestrutura, incluindo à referida intervenção.

Na visita participou, igualmente, o CEO da VINCI Concessions e Chairman da VINCI Airports, Nicolas Notebaert que diz sentir-se orgulhoso «de contribuir para o crescimento económico do país, em particular num destino turístico tão popular como o Porto. Neste aeroporto, atingimos o mais elevado nível de crescimento, desde o investimento realizado em 2013 na ANA Aeroportos. Em apenas seis anos, o tráfego duplicou de 6 para 12 milhões de passageiros, e por isso, decidimos investir no aeroporto, potenciando ainda mais a região».

Sobre a ampliação do caminho de circulação, Thierry Ligonnière, CEO da ANA Aeroportos, referiu que «este investimento de 15M€ traduz-se num aumento de capacidade de pista de forma a preparar o Aeroporto do Porto para continuar a crescer, como aliás sucede nos últimos anos».

Fernando Vieira, diretor do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, congratula-se pelos investimentos realizados lembrando os sucessivos prémios que este aeroporto vem recebendo, demonstrando assim «a dedicação e compromisso assumidos pelos colaboradores da ANA e do Aeroporto do Porto na melhoria contínua dos serviços prestados aos seus passageiros».

 

Maia é território «Magnético»

António Silva Tiago, disse a propósito ao Maia hoje, que acolhe este melhoramento do aeroporto francisco Sá Carneiro «como mais uma boa notícia para a Maia e para a região, considerando que vai facilitar o desenvolvimento da nossa estratégia de dinamização das atividades económicas no concelho. Creio que todos entendem que um território magnético como a Maia é hoje, beneficiando de uma atmosfera amigável, para se viver, trabalhar, investir e promover projetos empreendedores que criem emprego e gerem riqueza, fica ainda mais atrativo se as infraestruturas que o ligam ao Mundo se tornarem mais eficientes e potenciarem o incremento da economia local. Na visão estratégica do plano que seguimos rumo a um futuro de confiança, a ligação aérea da Maia com a Europa e com o resto do Mundo assume uma grande importância no desenvolvimento humano, social e económico face ao fenómeno da globalização transversal a todas as áreas da vida atual. Estou convicto que o aumento de circulação de aeronaves e o consequente aumento de passageiros vai também trazer vantagens para a Maia, quer a nível turístico, hoteleiro e da restauração», disse ao Maiahoje, assumindo igualmente o seu importante significado para as famílias e para as empresas maiatas.

A “VINCI Airports”:

A VINCI Airports, uma das 5 maiores operadoras de aeroportos do mundo, gerindo 46 aeroportos em todo o globo que contaram 240 milhões de passageiros em 2018.

Com uma experiência abrangente, a VINCI Airports desenvolve, financia, constrói e opera aeroportos, alavancando sua capacidade de investimento, a sua rede internacional e o know-how para otimizar a gestão e o desempenho da infraestrutura aeroportuária existente, áreas de extensão e construção nova.

A ANA Aeroportos de Portugal, grupo responsável pela gestão dos 10 aeroportos em Portugal, passou a fazer parte da rede VINCI Airports em setembro de 2013. Gere aeroportos no continente (Lisboa, Porto, Faro e Beja) e nas ilhas dos Açores (Ponta Delgada, Horta, Flores e Santa Maria) e Madeira (Madeira e Porto Santo), que movimentaram 55,3 milhões de passageiros em 2018, um crescimento de 6,8% face a 2017.

Deixe uma resposta