Depois de quase dois meses fechado, o Restaurante Ferradura abriu portas ontem, 7 de maio, para doar refeições a pessoas carenciadas. Iniciativa prolonga-se durante 30 dias.

Este é um projeto originário da boa vontade dos benfeitores que, em época pandémica, se uniram para ajudar «todas as pessoas que estejam a ter dificuldades e a passar necessidades»

Rui Redol, proprietário do Restaurante Ferradura, localizado na freguesia do Castêlo da Maia, viu-se obrigado a fechar portas a 10 de março por causa do Covid-19. Ainda impossibilitado de as abrir, decidiu, em conjunto com alguns voluntários dos “Anjos Amigos”, missão que também integra, ajudar os maiatos da sua freguesia que, pelo contexto pandémico atual, têm tido carência de alguns bem essenciais.

Com o apoio da Junta de Freguesia do Castêlo da Maia e de algumas empresas, estes benfeitores iniciaram ontem, dia 7 de maio, a doação de refeições. Pão, bebida, sopa, prato de comida e fruta é o que, quem pedir ajuda, leva para casa. «Não fazemos qualquer triagem, estamos aqui para ajudar as pessoas que mais necessitam e damos de boa vontade, cientes de que as pessoas que cá aparecem necessitam verdadeiramente desta ajuda, até porque estamos a tirar do nosso bolso para dar aos que mais precisam», disse Rui Redol ao Jornal da Maia.

De segunda a sexta, das 12 às 13.30 horas, e durante 30 dias, estes sete voluntários continuarão a prestar ajuda à entrada deste restaurante.

Cristiana Teixeira, voluntária dos “Anjos Amigos”, falou sobre a rapidez com que se propagou a informação de que iriam servir refeições a pessoas carenciadas. «Divulgamos a iniciativa nas redes sociais, essa difusão deu-se com grande rapidez e isso percebe-se pelo número de pessoas que está aqui hoje». Com capacidade para servir diariamente pouco mais de 100 refeições, no primeiro dia, por volta das 12.30 horas, já tinham sido servidas cerca de 50 refeições.

 

Deixe uma resposta