Mais uma vez, segundo o jornal Público online desta quinta-feira, o JPP volta ao ataque e desta vez o alvo é a vereadora Emília Santos pedindo-se também a perda de mandato «por ter votado a aprovação do pagamento, pela autarquia, de uma dívida ao Fisco da extinta empresa municipal Parque de Ciência e Tecnologia – Tecmaia, no valor de 1,4 milhões de euros. Um acto, argumenta-se na acção, que beneficiou o seu companheiro e ex-presidente da câmara, Bragança Fernandes», lê-se, tendo esta sido sustentada por ter presidido «à reunião do executivo de 6 de Dezembro de 2018, em representação do presidente da Câmara da Maia, tendo votado com os restantes membros do executivo a assunção, pelo município, da dívida de 1,4 milhões de euros que teria de ser paga pelos administradores daquela empresa municipal», tendo o JPP entendido que «não podia ter votado a proposta que determinou a reversão da execução contra os administradores do Parque de Ciência e Tecnologia por viver com António Bragança Fernandes, ex-administrador da Tecmaia e actual presidente da assembleia municipal».

Emília Santos diz não estar preocupada, que nada tem em comum com Bragança Fernandes, com quem mantém apenas uma relação afectiva.

EM ACTUALIZAÇÃO

Deixe uma resposta