O poderoso instrumento conta com cerca de 36 registos e 2152 tubos.

A construção foi levada a cabo pela empresa alemã Orgelbauwerkstätte, e representou um investimento de cerca de 600 mil euros.

O monumental órgão de tubos pertence à Igreja da Lapa e pesa cerca de 32 toneladas. Tem 9 metros de altura e 10 de largura. Ao todo, são 36 registos e 2152 tubos, tendo o mais alto 5,10 metros. O som é produzido pela passagem de ar comprimido através de tubos sonoros de diversos formatos, materiais e comprimentos.

A laborar na Igreja Nova da Maia há cerca de um mês e com a montagem técnica já concluída, os obreiros começaram esta semana a entonar os tubos que serão afinados individualmente de acordo com a acústica da Igreja.

Para Siegfried Schmid, mestre organeiro, «o som é natural porque é o ar que faz com os tubos produzam determinado som. Uma das caraterísticas do órgão de tubos, e o que o torna um instrumento tão especial, é as combinações que é capaz de fazer, assemelhando-se a uma orquestra em que os diferentes instrumentos, misturados, criam uma melodia harmoniosa».

O imponente instrumento tem aguçado a curiosidade de muitos maiatos que entram na igreja para ver, com os próprios olhos, a nova atração. Siegfried Schmid diz que o feedback tem sido «muito positivo» até pela «novidade que um instrumento destes implica».

O novo órgão de Tubos será inaugurado no próximo dia 10 de outubro, às 21 horas, a que se seguirá uma bênção pelo Bispo do Porto, D. Manuel Linda, e ainda um Concerto, inserido no 27º aniversário da Dedicação da igreja, pelas mãos de Filipe Veríssimo, organista da Igreja da Lapa.

 

Deixe uma resposta