As previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) faz esperar um agravamento do risco de incêndio nos próximos dias.

De acordo com a informação disponibilizada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), para os dias 22, 23 e 24 de junho de 2020, salienta-se o seguinte cenário meteorológico:

Segunda-feira, 22 de junho
Humidade relativa do ar baixa no interior durante a tarde (entre 20 % e 30 %) e sem recuperação noturna, exceto na faixa do litoral. Vento de noroeste, até 35 km/h na faixa costeira durante a tarde e nas terras altas. Entrada da brisa pouco expressiva durante a tarde. Subida acentuada da temperatura máxima (4 a 6 º C). Temperatura mínima na noite de 22 para 23 próxima de 20º C, em muitas regiões do interior;

Terça-feira, 23 de junho
Humidade relativa do ar baixa (inferior a 15 % em alguns locais) no interior durante a tarde, e sem recuperação noturna. Subida da temperatura máxima. Vento fraco a moderado (até 25 km/h) do quadrante leste, tornando-se do quadrante oeste a partir da tarde, soprando moderado (25 a 35 km/h) de noroeste na faixa costeira ocidental, em especial durante a tarde, e nas terras altas até início da manhã e a partir do final da tarde. Possibilidade de ocorrência de trovoada no interior entre 40 a 50 %, durante a tarde, mas com baixa probabilidade de ocorrência de precipitação;

Quarta-feira, 24 de junho
Vento em geral fraco predominando do quadrante oeste, soprando moderado (até 30 km/h) de noroeste na faixa costeira ocidental, em especial durante a tarde. Nas terras altas, o vento será moderado a forte (até 40 km/h) até ao início da manhã e para o final do dia, sendo do quadrante noroeste. Pequena descida da temperatura máxima.

Considerando as previsões do IPMA espera-se um agravamento do risco de incêndio. Assim, «recomenda-se que durante as comemorações associadas ás festividades de S. João não se utilizem balões de mecha acesa (tradicionais balões de S. João) e/ou quaisquer tipos de foguetes», adianta em comunicado a Comissão Distrital de Proteção Civil do Porto (CDOS Porto).
«Considerando ainda a situação epidemiológica que vivemos, motivada pelo SARS-CoV-2 e no sentido de travar a evolução de casos associados à COVID-19», o CDOS Porto recomenda ainda a tomada das necessárias medidas de precaução, de acordo com as orientações emanadas pela Organização Mundial de Saúde e pela Direção Geral de Saúde:

– Evitar ajuntamentos;
– Evitar consumo de bebidas em grupo;
– Lavagem frequente das mãos com água e sabão ou com soluções à base de álcool;
– Cobrir a boca e o nariz ao espirrar ou tossir;
– Utilizar um toalhete de uso único para conter as secreções respiratórias, o qual deve ser prontamente eliminado num contentor de resíduos próximo;
– Em alternativa poderá tossir ou espirrar para o braço/manga evitando a dispersão de partículas, e a consequente contaminação das mãos;
– Higienizar as mãos após contacto com secreções respiratórias;
– Evitar tocar nas mucosas dos olhos, boca ou nariz;
– Evitar contacto com pessoas com infeção respiratória;
– Evitar partilha de objetos de uso pessoal e comida;
– Manter pelo menos 2 metros de distância em relação a outras pessoas, principalmente daquelas que apresentam sintomas de tosse ou febre.
– Na presença de sintomas de tosse, febre ou dificuldade respiratória conjugado com regresso recente de áreas com transmissão comunitária ativa do COVID-19 ou contacto com um doente infetado, deve ligar para a Linha SNS 24 – 808 24 24 24;
– Reduzir ao mínimo a permanência em locais públicos muito frequentados;
– Estar atento às informações da Direção Geral de Saúde e às indicações da Proteção Civil e das Forças de Segurança.

Deixe uma resposta