A dupla santomense, que é já um os maiores fenómenos musicais em Portugal, subiu ontem, 9 de julho, ao palco das Pirâmides para encerrar as Festas da Maia deste ano.

Os dois irmãos, Fradique e António Mendes Ferreira, de 30 e 25 anos, com a humildade que os costuma caracterizar, durante o espetáculo que juntou milhares de pessoas, cantaram três vezes a música “A Nossa Vez”, um verdadeiro êxito que veio agitar os admiradores de música africana e que soma mais de 53 milhões de visualizações no Youtube.


Durante o concerto foram ainda relembradas as vítimas dos incêndios e os Bombeiros portugueses que lutaram no combate às chamas do ano passado. Aquando da passagem de uma ambulância, que passava pelo meio do público para prestar socorro, pararam a música, e um dos cantores afirmou: «vamos deixar passar, estes são os nossos heróis», disse, acrescentando que «esperemos que não seja nada de grave».
Nos bastidores, em conversa com Jornal da Maia, os Calema descreveram o concerto como «incrível» e explicaram que «não temos palavras para descrever o que aconteceu hoje, tivemos uma receção magnífica do público da Maia. Todos cantaram as músicas e participaram com a energia ao máximo. Foi espetacular e nós queremos cá regressar para reencontramos esse público».

Relembraram que «há 11 anos atrás, estávamos na roça do nosso avô a ver os aviões a passarem e nunca imaginávamos estar à frente de milhares de pessoas a recebermos todo este carinho. De onde nós viemos, tínhamos 99% de hipóteses de desistirmos de tudo, mas as pessoas, os amigos, os nossos pais, fizeram-nos acreditar nesse 1% e quebrar barreiras e foi esse acreditar que nos moveu até hoje. Não há como agradecer às pessoas pelo carinho e o que prometemos é trabalhar e passarmos através da música a mensagem e continuarmos mais e mais e mais».

Quanto ao futuro, esperam «continuar a trabalhar muito para este público magnífico, para continuar a ter oportunidades dessas. É um projeto que, na verdade, tem mais de dez anos, mas só a partir de 2011 é que nos começamos a dedicar profissionalmente à música. Hoje pisamos palcos por onde passam artistas de renome internacional e isso mostra que os passos que nós demos até hoje estão a ter repercussões boas e esperamos continuar a trabalhar e a levar a música, sobretudo a essência, aquilo que nos faz ser os Calema, e que o público esteja sempre connosco nesta linda caminhada».

Deixe uma resposta