Joaquim Jorge, fundador do Clube dos Pensadores (CdP), convidou António Capucho a estar presente no próximo dia 14 de maio, segunda-feira, pelas 21h30, no Hotel Holiday Inn em Gaia, para mais um debate.

António Capucho foi convidado a estar presente no debate a realizar no próximo dia 14 de maio, pelas 21h30. O debate vai ser moderado pelo fundador do Clube dos Pensadores, Joaquim Jorge, e vai incidir em questões sobre o PSD, a liderança de Rui Rio,  o 25 de abril, o funcionamento dos partidos e o panorama da política nacional.

O convidado de honra, António Capucho, foi expulso do PSD, ao fim de mais de 40 anos de militância, por integrar e apoiar uma candidatura independente à CM Sintra, adversária do seu partido, nas eleições autárquicas de 2013.

No entanto, foram muitos os militantes que na altura apoiaram candidaturas contrárias às do seu partido – PSD – e não foram expulsos. Esta decisão foi alvo de polémicas devido ao mencionado no artigo 9º dos estatutos do PSD: “cessa a inscrição no Partido dos militantes que se apresentem em qualquer acto eleitoral nacional, regional ou local na qualidade de candidatos, mandatários ou apoiantes de candidatura adversária da candidatura apresentada pelo PPD/PSD”. Este artigo não foi devidamente aplicado, senão centenas de militantes do partido teriam sido expulsos, o que não foi o caso.

Agora, na era de Rui Rio, o co-fundador do PSD, António Capucho, manifesta a sua vontade em regressar ao partido com o seu antigo número de militante (326º) e processo de expulsão arquivado. Relembro que em outubro de 2017, o candidato confessou que voltaria ao PSD quando Rui Rio estivesse na liderança, desde que a antiga matriz social-democrata do partido regressasse.

Reunidas as condições, Capucho fez um requerimento no qual pedia a revogação da decisão tomada há cinco anos. O Conselho de Jurisdição indeferiu o seu pedido. Há quem diga que é injusta essa decisão e que Rui Rio deveria tomar uma posição a favor da sua readmissão.

António Capucho passou por vários cargos no PSD: secretário-geral, vice-presidente da Comissão Política Nacional, deputado, líder parlamentar e eurodeputado. Em funções governamentais: secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro, Ministro da Qualidade de Vida e Ministro dos Assuntos Parlamentares. Por fim, foi presidente da CM Cascais.

 

Deixe uma resposta